PatriciaXimenes.com

Inspirações de uma Estrela!

Amar-Amaro - Carlos Drummond de Andrade

Amar-Amaro Por que amou por que amou
se sabia
p r o i b i d o  p a s s e a r  s e n t i m e n t o s
ternos ou desesperados
nesse museu do pardo indiferente
me diga: mas por que
amar sofrer talvez como se morre
de varíola voluntária vágula evidente?
ah PORQUE AMOU
e se queimou
todo por dentro por fora nos cantos nos ecos
lúgubres de você mesm (o, a)
irm(ã,o) retrato espéculo por que amou?
se era para
ou era por
como se entretanto todavia
toda via mas toda vida
é indagação do achado e aguda espostejação
da carne do conhecimento, ora veja
permita cavalheir(o,a)
amig(o,a) me releve
este malestar
cantarino escarninho piedoso
este querer consolar sem muita convicção
o que é inconsolável de ofício
a morte é esconsolável consolatrix consoadíssima
a vida também
tudo também
mas o amor car (o,a) colega este não consola nunca de núncaras.

(Carlos Drummond de Andrade)

Em destaque:

Acompanhe:

Assine RSS Assine RSS
Seguir Patrícia no TwitterSeguir no Twitter

Recanto das LetrasRecanto das Letras

Receba o conteúdo!

Digite seu e-mail:

Links Favoritos

Fã Clube Elo - J.V.

Guilherme Arantes

Jorge Vercillo

Sublime Amor . Com
Divulgue-nos:

O melhor conteúdo cultural da internet